segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Corre!

O texto a seguir é uma reflexão muito bem elaborada pelo meu amigo Fernando Cardoso*


Crédito da Imagem: blog no gabinete

Ouvindo e lendo sobre Zaqueu, o publicano:“E, correndo adiante, subiu a um sicômoro bravo para o ver; porque havia de passar por ali.” Lc 19:4. Pensei.



Corre, correndo, corrido, correria, corriqueiro, talvez estas sejam palavras mais comuns em nossos dias; é bem verdade, que não é algo só deste século. A vida está um corre-corre. Há quem corre para o trabalho, ou do trabalho. Há quem corre para casa; em casa; pela casa; da casa. Há quem corre na rua. Há quem corre atrás. Atrás de dinheiro; atrás de fama; atrás de outros; para os outros e até dos outros. Há quem corre para frente: da TV para não perder a novela; o filme; a comédia; o noticiário, e coisas semelhantes a estas. Para frente dos problemas; para á frente com os seus propósitos. Há quem corre para as coisas secundárias. Há quem corre para salvar. Há quem corre para pedir perdão, ou corre para não pedir. Há quem corre e chega para falar. Há quem corre e chega, mas prefere ficar quieto. Há quem corre para abraçar. Há quem corre para visitar. Há quem corre por correr. Há quem corre por não querer perder. Há quem corre para ser. Há quem corre para ter. Há quem corre por já ser. Há quem corre rápido. Há quem corre com paciência. Há quem corre pela paz. Há quem corre pela guerra. Há quem corre pela impaciência. Corre. Socorre. Não escore.

Mas é bom saber que quem corre, não ignore. Ignorar o que? Talvez pergunte alguém. Ignorar que não está correndo sozinho. Ignorar, que quem corre, pode ficar para traz, mas não quer dizer que parou de correr. Ignorar, que aquele que corre, corre porque tem objetivos. A maneira como corremos pode nos fazer ser conhecido como: alguém que corre e chega, ou como alguém que corre e não chega. Paro para pensar sem correr: porque alguns não correm mais? Não correm, por que corriam pelos outros. Não correm, por que pararam de correr, sabendo que poderiam ter continuado. Não correm, por que foram duramente bloqueados. Não correm, por que escolheram não correr mais. Não correm, por que se sentaram. Não correm, por que se acomodaram.

Paro de correr com os pensamentos sobre “corre”, para ir ao “x” da questão. Estamos correndo, para Deus? De Deus? Com Deus? Em Deus? Talvez alguém corra, e pergunte: Deus fala com quem está na correria?
Ouça: “Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.” (Hc 2:2-4). Este “outdoor” é irremovível. Deus tem uma obra maravilhosíssima á fazer na sua vida!

Corre pela tua vida. Corre pelos seus. Corre pelas coisas primárias. Corre pelo Primeiro e Último. Corre para a vontade de Deus. Corre para Jesus, Corre á Jesus, Corre com Jesus. Corre, para buscá-lo. Corre, para O ver. Corre, para conhecê-lo. Corre, para se entregar. Corre, para servi-lo. Corre. Zaqueu correu adiante. Corre adiante, para não viver a amargura eterna do “distante”.

*Fernando Cardoso é evangelista na Igreja Assembléia de Deus e estudante de pedagogia. Há vários anos desenvolve trabalhos com adolescentes, além de ser professor nato de Escola Bíblica Dominical. 


4 comentários:

  1. AGNELO RITA SOARES1 de outubro de 2012 14:10

    Palavras sabias, caro amigo. Que Deus continue lhe enchendo de sabedoria, sempre.

    ResponderExcluir
  2. Correr sempre. Correr para cumprir seus intentos, assim como o espermatozoide para encontrar o óvulo, assim como o soldado para dar a notícia do fim e da vitória na guerra, todas tem um ponto de inicio e um final. Não necessitamos saber onde será o final, mas necessitamos saber que a corrida deve ser cumprida. Seremos todos recompensados por nossos louros e cobrados por nossas derrotas, mas devemos seguir: Amando acima de tudo a todos, indistintamente, assim como nos fora ensinado. Sejam sempre abençoados todos aqueles que correm e buscam seu final na messe de Senhor.

    ResponderExcluir
  3. Minha gratidão ao meu mestre Prof. Maxuel. Minha estima aos Profs Agnelo Ramalho pelos acréscimos.Mês de sucesso.

    ResponderExcluir