sexta-feira, 29 de junho de 2012

Os pentecostais no Censo 2010: Assembléia de Deus chega aos 12 milhões. Igreja Universal e Congregação Cristã diminuem


Na manhã deste dia 29 de junho, o IBGE divulgou os resultados do Censo 2010 sobre religião. Como já comentamos na postagem anterior, os evangélicos chegaram à cifra de 42,3 milhões (22,2% da população). O ano da realização do Censo coincidiu com o centenário da chegada do pentecostalismo ao Brasil. De acordo com os dados do IBGE, 6 de cada 10 evangélicos brasileiros declara-se pentecostal.
O ranking das cinco maiores igrejas pentecostais do país permaneceu inalterado, porém, apresentou interessantes diferenças em relação ao Censo 2000.
A Igreja Assembléia de Deus apresentou um crescimento de 46%, saltando dos 8,4 milhões de membros para 12,3 milhões, continuando a ser a maior igreja evangélica e o segundo maior grupo religioso do país, perdendo em números apenas para a Igreja Católica. Vale a pena lembrar que o Censo não faz distinção entre os diferentes ministérios da AD. Assim, os 12 milhões de assembleianos estão espalhados em uma série de ministérios e convenções independentes, das quais a maior e mais antiga é a CGADB (Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil), fundada em 1930. Há diversos ministérios dentre os quais destacam-se: Belém, Madureira, Perus, Ipiranga, Santos, Bom Retiro, dentre centenas de outros.
Algo curioso diz respeito à diminuição do número de membros das Igrejas Congregação Cristã do Brasil e Universal do Reino de Deus. A Congregação, amplamente conhecida pelos seus templos de cor cinza e janelas com arcos góticos, perdeu quase 200 mil fiéis, passando de 2,4 para 2,2 milhões de membros. No entanto, continua sendo a segunda maior igreja pentecostal do país. Diferentemente da Assembléia, a Congregação Cristã não está dividida em ministérios, representando, portanto, uma única instituição.
Impressiona também a diminuição do número de membros da Igreja Universal do Reino de Deus, amplamente conhecida pelo intenso uso dos meios de comunicação para divulgação de sua mensagem. A IURD passou de 2,1 milhões para 1,8 milhões, o que indica que o trânsito religioso entre diferentes igrejas tem afetado a denominação. Vale a pena comentar aqui o surgimento da Igreja Mundial do Poder de Deus, que tem se transformado em uma das principais opções para quem deixa a IURD. No Censo, a Igreja Mundial não foi classificada individualmente, estando agrupada no grupo "Outras igrejas evangélicas de origem pentecostal", do qual falaremos mais a frente.
A Igreja do Evangelho Quadrangular e a Igreja Deus é Amor (que em junho deste ano completou seu jubileu de ouro), aumentaram o seu número de membros. Enquanto a IEQ saltou de 1,3 milhão para 1,8 milhão, a IPDA ganhou 70 mil membros, passando dos seus 774 mil para os 845 mil adeptos.
A Igreja O Brasil para Cristo passou de 175 mil para 192 mil, a Maranata de 277 mil para 356 mil, a Casa da Benção de 128 mil para 125 mil e a Vida Nova (de onde se originou a Universal) de 92 mil para 90 mil.
Também merece destaque o crescimento do grupo "Outras igrejas evangélicas de origem pentecostal", que passou de 1,8 para 5,2 milhões (!). Deste grupo fazem parte igrejas mais conhecidas como Renascer em Cristo, Igreja da Graça, Mundial do Poder de Deus e Avivamento Bíblico, além das variadas igrejas pentecostais autônomas, presentes em uma variada gama de diferentes congregações, espalhadas principalmente pelas regiões de periferia das grandes metrópoles. (em minha pesquisa de mestrado, realizada no bairro paulistano de Perus em 2010, encontrei cerca de 60 diferentes denominações pentecostais em um bairro com 70 mil habitantes). O crescimento de 3,4 milhões de pessoas neste grupo, bem como o aumento de 180 mil para 777 mil dos que se denominam como membros de "Comunidades Evangélicas" indica interessantes mudanças comportamentais, institucionais e doutrinárias no campo religioso pentecostal brasileiro.
Este é apenas um olhar preliminar sobre o Censo. Sem dúvida, há muito o que se pesquisar entre todos estes números!

9 comentários:

  1. Interessante que o crescimento das Assembleias de Deus se dá no momento de maior fragmentação dos seus ministérios. Talvez esteja ai a resposta para essa expansão, pois a competição aumentou entre os vários ramos da centenária denominação. Olhando só os números há um aparente otimismo, mas por outro lado revela (e quem acompanha sabe disso) lutas e politicagens nada sadias. Agora com esses dados, acredito eu, que as picuinhas eclesiásticas vão se intensificar.

    Um grande abraço!

    29 de junho de 2012 21:55

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Mario Sérgio!

      Não é possível falar que temos uma Assembléia de Deus com 12 milhões de membros, mas uma série de denominações com este nome, que reunidas somam esta multidão!

      Excluir
  2. Não há porque as AD se vangloriar desse resultado e sim preocupar-se pois o que adianta a quantidade sem qualidade, de uma igreja multifacetada e cada vez mais permissiva para não perder adeptos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Luiz Carlos pela visita ao blog e por registrar seu comentário!

      Excluir
    2. nao entendo como congregaçao crista teve queda se relatorio anual de estatitica de 2000 a 2010 ,foram batizados 1.230.567 e aberto 4.500 novas igrejas ,fazendo total de quase 20.000 templos no brasil

      Excluir
    3. Olá Anônimo.

      Acredito que os relatórios da denominação não levam em conta as pessoas que deixaram a igreja, migrando para outras denominações, bem como aqueles que faleceram ou deixaram de ir à igreja.
      Eu também não esperava ver esta diminuição nos resultados do Censo. No entanto, ainda podemos considerar a CCB como a segunda maior igreja pentecostal do país, garantindo-lhe uma posição de destaque entre as demais igrejas.

      Muito obrigado pelo comentário! Continue a nos visitar.

      Excluir
  3. É importante destacar nestes dados apresentados, que as AD,tem metodologia e lógica de atuação diferente das demais igrejas pentecostais em geral,um exemplo disso é o fato de implantação de igrejas em lugares longinquos de difícil acesso no meio do mato,como acontece aqui no PARÁ e em todo BRASIL; enquanto que algumas que estão perdendo adeptos na maioria das vezes implantam mega igrejas em locais centrais das grandes metrópoles,se bem mostram os números essa estratégia de implantar igrejas apenas em principais avenidas já não está mais dando certo,ou seja, não "cola" mais.

    ResponderExcluir
  4. elias gomes camacho20 de abril de 2015 15:17

    Hoje tenho vergonha porr mtos. Pr. Se vangloriar-se pelo crescimento AD. Realmente os n° provam seu crescimente com essa abertura venha como esta, fique como esta. É essa AD? Sendo o Corpo de Cristo, onde estão o Sal da terra a Luz do Mundo. Hoje estão todos juntos e misturado. Mudem o nome não se aproveitem da AD. Passam a usar AD Renovada. A paz do Senhor meus irmão em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir